É preciso se preparar para a próxima grande estiagem

Alexandre Santos*

 


Existem situações das quais não se pode fugir. Uma delas é a periodicidade dos fenômenos climáticos, como as secas que, volta e meia, afligem o semi-árido. Com olhos no futuro, os estadistas devem ver além das próximas eleições e, independentemente da bonança atual, preparar a região para a inevitável seca que, ao ritmo do El niño, vem por aí. Os mais experientes lembram de como, na última grande seca, fizeram falta os barreiros trincheira e as proteções contra a aceleração da evaporação provocada pelos ventos alísios nos açudes. Sem descuidar das demais responsabilidades, é hora do governo estadual investir na infra-estrutura de suporte ao esforço que será requerido na próxima grande estiagem.

 

Alexandre Santos é presidente do Clube de Engenharia de Pernambuco

Texto publicado em 18 de setembro de 2011 pelo Diário de Pernambuco na coluna 'Idéias para Pernambuco'.